Reunião entre Menp e sindicato termina com um novo desacordo

Mesa de negociação permanente se baseou na lei de responsabilidade e não concedeu os reajustes pedidos; Sintero não reconhece proposta

Foi necessário pouco mais de uma hora de reunião para que houvesse um novo desacordo entre a mesa de negociação do governo e os representantes do sindicato dos servidores da educação. Sem reconhcer a proposta como válida, as lideranças do Sintero se retiraram da reunião.

Pela proposta apresentada na Menp, o compromisso é de dar um pequeno reajuste salarial, sem a garantia de cobrir as perdas. Se afirmando na Lei de Responsabilidade Fiscal e na justificativa de que metade dos estados não paga o piso aos trabalhadores da educação, o governo se esquivou de conceder um aumento real.

Na pauta da greve, os servidores pedem o cumprimento de acordos básicos firmados pelo governo de Rondônia com a categoria. O repasse de 1% anual de investimento do orçamento na educação que deveria em 2020, atingir 30%. A proposta firmada em 2015 ainda não reajustou em nada o investimento.

O pagamento do piso também é pedido. O governo fez uma pequena conceção que não cobre as perdas dos anos anteriores.

A presidente so Sintero, bem como sua equipe presente, não reconheceram a proposta como válida. A greve que início no dia 21 de fevereiro. Os sindicalistas aguardam uma proposta que permita aos professores e servidores da educação finalizar o movimento que teve adesão em todo o estado.

redacao

Ad. Comentário

Clique aqui para comentar