Agro

A força do agro para a retomada da economia

Com participação cada vez mais decisiva no produto interno bruto (PIB), o agronegócio impulsiona a economia brasileira e responde por boa parte do crescimento registrado no 1º semestre de 2021. As exportações do agro subiram 20,9% no período, conforme o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com acumulado de US$ 61,5 bilhões em seis meses.

Um sinal claro de que o mercado internacional reconhece a qualidade do que vem do país. A tecnologia de ponta e a valorização dos preços das commodities, aliadas à experiência dos produtores, sustentam a ampliação do volume exportado, a exemplo do último recorde registrado na safra de grãos.

Todos esses fatores têm guiado o trabalho de instituições financeiras, que estão atentas às reais necessidades do setor. Assim como o agro evolui a cada ciclo, os bancos também buscam aprimorar a sua participação no campo, estimulando os investimentos para a modernização do setor. Aliás, os produtores precisam de confiança e de incentivos do setor financeiro para continuar avançando.

Entender o que acontece nas propriedades e conhecer o contexto regional em que elas estão inseridas são iniciativas que beneficiam as mais diversas cadeias produtivas. Por isso, a importância de que equipes especializadas atuem na linha de frente, mantendo um relacionamento próximo aos produtores rurais.

Se o atendimento fortalece a parceria, a ampliação da oferta de soluções financeiras impacta diretamente no desenvolvimento das cadeias produtivas. No Banrisul, por exemplo, o volume financeiro contratado nas linhas de crédito rural para custeio e investimento registraram aumento de 104% e 165%, respectivamente, no primeiro semestre deste ano.

São resultados que comprovam o compromisso do Banrisul com as suas raízes, mantendo incentivos no campo. O agro faz a economia girar e representa mais emprego e renda para milhares de famílias.

Sobre o Autor

Redação Acontece MS

Comentar

Clique aqui para comentar